Quem pode ser santo? #Youcat

PodeSerSanto

As vezes a #santidade parece algo tão distante, não é? Se nós olhamos para alguns santos, então, aí que a situação piora, não é verdade?

São Francisco? Santa Teresinha do Menino Jesus? São João Paulo II?

Eita! A coisa ficou séria para o nosso lado! Será que um dia conseguiremos? Será que a #santidade realmente é pra todo mundo? Esses são alguns questionamentos que vão surgindo ao longo do nosso caminho de fé, principalmente se somos jovens assíduos na vida da Igreja.

Todos queremos ser santos! Mas, ser santo, é na verdade um “sonho” até mesmo inconsciente do nosso coração que podemos traduzir por: saudade do Céu! Saudade de Deus! Saudade do Eterno!

A #santidade é pra todos nós! É nossa primeira vocação! É o chamado de TODOS OS FILHOS DE DEUS.

Viemos do coração de Deus e para Ele devemos voltar. Mas isso só acontecerá se formos santos. Vale a pena ver o que o Youcat nos fala sobre isso:

“Só na Santidade o ser humano se torna aquilo para que Deus o criou. Só na santidade o ser humano chega à verdadeira harmonia consigo mesmo e com o Criador. A Santidade não é, todavia, uma perfeição de ‘fabricação caseira’; ela atinge-se por união com o Amor encarnado, que é Cristo. Quem, deste modo, atinge uma vida nova, torna-se e descobre-se santo” (Youcat 342) 

Nesse pequeno vídeo também falo um pouco sobre esse nosso desejo e questionamento. Clica aê: 

Deus te abençoe!
Paz e Misericórdia!

Anúncios

Jovem Litúrgico| Solenidade de São Pedro e São Paulo, por @janainanaspar

Três árvores faladeiras sonhavam com o que iriam ser depois de grandes. A primeira, olhando as estrelas disse: eu quero ser o baú mais precioso do mundo e viver cheia de tesouros. A segunda, olhando um riacho suspirou: eu quero ser um navio bem grande para transportar reis e rainhas. A terceira disse: quero ficar aqui no alto da montanha; e crescer tanto que as pessoas ao olharem para mim, levantem os olhos e pensem em Deus. Muitos anos se passaram, as árvores cresceram. Surgiram três lenhadores que, sem saber do sonho delas, cortaram as três. A primeira árvore acabou se transformando num cocho de animais, coberto de feno. A segunda virou um barco de pesca. A terceira foi cortada em vigas e deixada num depósito. Desiludidas, as três lamentaram os seus destinos. Mas, numa certa noite, com o céu cheio de estrelas, uma jovem mulher colocou o seu bebê recém-nascido naquele cocho. De repente, a árvore percebeu que continha o maior tesouro do mundo. A segunda, certo dia, transportou um homem que acabou por dormir no barco. E, quando uma tempestade quase afundou o barco, o homem levantou-se e disse “paz”! E, imediatamente, as águas se acalmaram. E ela entendeu que transportava o rei dos céus e da terra. Tempos mais tarde, numa Sexta-feira, a terceira árvore espantou-se quando as vigas foram unidas em forma de cruz e um homem foi pregado nela. A árvore sentiu-se horrível vendo o sofrimento daquele homem. Mas logo entendeu que aquele homem salvou a humanidade e as pessoas logo se lembrariam de Deus ao olharem para a cruz.

Celebramos hoje o testemunho de fé de São Pedro e São Paulo. Homens decididos, corajosos e radiciais. Que bom seria se tivéssemos a ousadia deles e a capacidade de sonhar dessas três árvores!

Pedro e Paulo foram sementes que cresceram, tornaram-se árvores, mas mesmo assim não sabiam sua missão. Ah, mas quando chegou o Rei… tudo tomou seu lugar! Eles foram fiéis. Deus é fiel e através da fidelidade de Pedro, o tirou da prisão e concedeu a autoridade de edificar a Igreja. Através da fidelidade de Paulo, fez Saulo se tornar um grande e radical pregador. Por isso jovem, a mensagem que quero deixar para esta semana está resumida nessa bela historinha. Busque o alto, e mesmo que você não entenda; saiba que Deus tem um plano maravilhoso na sua vida. Afinal de contas, Jesus é alegre e quer nos ver felizes, VERDADEIRAMENTE felizes. Não tenha medo de se consumir inteiro a serviço do Nazareno.

Uma ótima semana!

Paz e Bênçãos,
Janaína.

Santo do Dia| São Pedro e São Paulo Apóstolos

Hoje a Igreja do mundo inteiro celebra a santidade de vida de São Pedro e São Paulo apóstolos. Estes santos são considerados “os cabeças dos apóstolos” por terem sido os principais líderes da Igreja Cristã Primitiva, tanto por sua fé e pregação, como pelo ardor e zelo missionários.

Pedro, que tinha como primeiro nome Simão, era natural de Betsaida, irmão do Apóstolo André. Pescador, foi chamado pelo próprio Jesus e, deixando tudo, seguiu ao Mestre, estando presente nos momentos mais importantes da vida do Senhor, que lhe deu o nome de Pedro. Em princípio, fraco na fé, chegou a negar Jesus durante o processo que culminaria em Sua morte por crucifixão. O próprio Senhor o confirmou na fé após Sua ressurreição (da qual o apóstolo foi testemunha), tornando-o intrépido pregador do Evangelho através da descida do Espírito Santo de Deus, no Dia de Pentecostes, o que o tornou líder da primeira comunidade. Pregou no Dia de Pentecostes e selou seu apostolado com o próprio sangue, pois foi martirizado em uma das perseguições aos cristãos, sendo crucificado de cabeça para baixo a seu próprio pedido, por não se julgar digno de morrer como seu Senhor, Jesus Cristo.

Escreveu duas Epístolas e, provavelmente, foi a fonte de informações para que São Marcos escrevesse seu Evangelho.

Paulo, cujo nome antes da conversão era Saulo ou Saul, era natural de Tarso. Recebeu educação esmerada “aos pés de Gamaliel”, um dos grandes mestres da Lei na época. Tornou-se fariseu zeloso, a ponto de perseguir e aprisionar os cristãos, sendo responsável pela morte de muitos deles.

Converteu-se à fé cristã no caminho de Damasco, quando o próprio Senhor Ressuscitado lhe apareceu e o chamou para o apostolado. Recebeu o batismo do Espírito Santo e preparou-se para o ministério. Tornou-se um grande missionário e doutrinador, fundando muitas comunidades. De perseguidor passou a perseguido, sofreu muito pela fé e foi coroado com o martírio, sofrendo morte por decapitação.

Escreveu treze Epístolas e ficou conhecido como o “Apóstolo dos gentios”.

São Pedro e São Paulo, rogai por nós!

Fonte: Canção Nova