Quem pode ser santo? #Youcat

PodeSerSanto

As vezes a #santidade parece algo tão distante, não é? Se nós olhamos para alguns santos, então, aí que a situação piora, não é verdade?

São Francisco? Santa Teresinha do Menino Jesus? São João Paulo II?

Eita! A coisa ficou séria para o nosso lado! Será que um dia conseguiremos? Será que a #santidade realmente é pra todo mundo? Esses são alguns questionamentos que vão surgindo ao longo do nosso caminho de fé, principalmente se somos jovens assíduos na vida da Igreja.

Todos queremos ser santos! Mas, ser santo, é na verdade um “sonho” até mesmo inconsciente do nosso coração que podemos traduzir por: saudade do Céu! Saudade de Deus! Saudade do Eterno!

A #santidade é pra todos nós! É nossa primeira vocação! É o chamado de TODOS OS FILHOS DE DEUS.

Viemos do coração de Deus e para Ele devemos voltar. Mas isso só acontecerá se formos santos. Vale a pena ver o que o Youcat nos fala sobre isso:

“Só na Santidade o ser humano se torna aquilo para que Deus o criou. Só na santidade o ser humano chega à verdadeira harmonia consigo mesmo e com o Criador. A Santidade não é, todavia, uma perfeição de ‘fabricação caseira’; ela atinge-se por união com o Amor encarnado, que é Cristo. Quem, deste modo, atinge uma vida nova, torna-se e descobre-se santo” (Youcat 342) 

Nesse pequeno vídeo também falo um pouco sobre esse nosso desejo e questionamento. Clica aê: 

Deus te abençoe!
Paz e Misericórdia!

Anúncios

News| Vaticano lança aplicativo do Papa #ThePopeApp

app

Dom Claudio Maria Celli, acompanhado por seu colaborador Thaddeus Jones, apresentou na última semana, o “The Pope App”, um aplicativo para smartphone e tablet que reúne toda a mídia do Vaticano (Rádio Vaticano, Centro Televisivo Vaticano, Agência Fides, L’Osservatore Romano, Sala de Imprensa).

Dom Celli afirmou que essa iniciativa era desejo da Igreja. “Era nosso desejo apresentar ao Papa esta iniciativa. Como se sabe, já existia o ‘The Pope App’ e nós estamos contentes porque no passado mais de 400 mil pessoas baixaram nos próprios celulares e nos tablets este aplicativo. É um aplicativo que permite ao Papa de aproximar homens e mulheres de hoje, de estar próximo a eles com suas mensagens, com seus pronunciamentos, com as suas meditações”, destaca.

Ele acredita que esta é uma maneira de encontro com a espiritualidade e o catolicismo, já que homens e mulheres de hoje, às vezes também afastados da Igreja e às vezes também de outras religiões, encontraram no Papa Francisco um amigo, que está ao lado deles, que diz coisas autênticas, que sabe falar ao coração dos homens e das mulheres de hoje, que sabe perceber os seus cansaços e às vezes a dificuldade de viver e sabe dar uma palavra de amizade, de amor.

Dom Claudio defende que o homem deve sempre compreender que é acolhido, que é acolhido por Deus através de iniciativas como essa.  ”Aperfeiçoamos a primeira edição do The Pope App e hoje está mais acessível, está mais claro, é melhor administrado, no entanto as funções são as mesmas, podemos fazer sim que em cada momento o homem e a mulher de hoje possam ter à disposição do próprio celular ou seu próprio tablet as meditações, as palavras do Papa, os seus gestos. Eu diria que hoje a nova edição permite também ter ‘favoritos’, escolher, isto é, textos mais importantes e ao mesmo tempo de poder compartilhar com outros. Isto eu acho que seja uma oportunidade nova que é oferecida a todos”, pontua.

Sobre o App

1359098273

Ele agrupa os conteúdos, as mídias e as notícias produzidas por cada mídia da Santa Sé, do Vaticano, portanto: Rádio Vaticano, Centro Televisivo Vaticano, Agência Fides, L’Osservatore Romano, em parte a Sala de Imprensa da Santa Sé e os últimos textos publicados no vatican.va.

É multimídia: tem vídeo, o streaming e fotografias, também do Serviço Fotográfico. Portanto, abrange um pouco de tudo, também as notícias escritas, os resumos das notícias, os textos integrais. A ideia é colocar tudo junto em um único App e isto também para satisfazer uma exigência sempre mais presente hoje, porque as pessoas querem ter notícias no próprio smarthphone, no próprio tablet. “Assim, para ir de encontro a esta exigência sempre mais evidente, criamos este App com o nome de ‘The Pope App”, explica o criador do projeto Thaddeus Jones.

Com informações da Rádio Vaticana | Jovens Conectados

Qual sua fonte de informação quando o assunto é a Igreja?

É preciso aprender a moderar as informações que chegam da mídia até nós, principalmente as que vão contra o que diz a Igreja

mídia secular volta e meia escolhe um assunto tratar e deixar clara a sua posição diante de determinada situação. Para eles um assunto que sempre está em pauta para ser bombardeado é a Igreja Católica e sua tradição.

©GIANCARLO GIULIANI/CPP

Em meio à cultura do imediatismo, a tradição da Igreja é sempre vista como algo ultrapassado. Deste modo, ela é quase sempre o foco das atenções dos grandes, e também dos pequenos, veículos de comunicação mundanos.

Se for traçada uma linha desde janeiro até hoje, vamos perceber o que sempre foi falado. Primeiro a renúncia de Bento XVI: enquanto ele dizia que seu pontificado teve “águas agitadas”, a imprensa secular afirmava que o Papa não aguentava os escândalos envolvendo o IOR (Banco do Vaticano) e a perda de fiéis. Após a eleição de Francisco, quantos elogios a imprensa fez ao novo pontífice. E, novamente, quantas críticas infundadas e comparações sem nexo os veículos seculares inventaram para tentar denegrir a imagem de Bento XVI.

Estamos em setembro. No próximo mês, a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) realiza a Semana Nacional da Vida (1 a 7 de outubro). Há poucos dias desse evento, um programa de determinada emissora, cujo nome não vou mencionar, levou ao ar o tema do aborto. A Igreja celebra e promove a vida, já a mídia secular, muitas vezes, promove, enaltece e busca propagar a cultura de morte. Para variar, ainda dizem que ao ser contra o aborto a Igreja está cometendo um crime.

É importante saber que há nos veículos de comunicação de massa uma grande capacidade de influenciar o pensamento, falar e agir da população. Sem muita dificuldade eles fazem as pessoas mudarem de opinião. Você já dever ter escutado alguém dizer que é contra alguma coisa e no outro dia, após essa pessoa ter assistido um jornal ou programa de TV, afirmar que agora é a favor. Aí vem a pergunta: o que tem o rádio, a TV, a internet de tão poderosos?

A resposta é complexa e infelizmente não sou apto para responder essa pergunta. Porém, um conselho cabe muito bem: é preciso aprender a moderar as informações que chegam da mídia até nós, principalmente as que vão contra o que diz a Igreja. Para assuntos católicos, busque os veículos católicos.

Fonte: Aleteia