Não mereço! Me envergonho! Remorso x Arrependimento #VR2

13173089_10209493424676475_7237708513350674615_o

Paz e Fogo, juventude!
Está no ar o segundo vídeo do #vlogREVOLUCIONÁRIO!

Dessa vez o assunto fala forte ao nosso coração porque, independente de religião, cor, condição social ou qualquer outra coisa, todos nós já passamos por isso.

REMORSO X ARREPENDIMENTO. Qual é a diferença? O que é bom para mim? Como me arrepender e porque me arrepender?

No vídeo dou o exemplo de São Pedro e Judas Iscariotes. Ambos foram escolhidos por Jesus, caminharam, rezaram e festejaram com Ele, mas também o traíram e negaram. Jesus, o rosto da misericórdia podia e com certeza perdoaria os dois, mas um teve apenas remorso e se tremeu de medo da misericórdia de Deus. Esse foi judas, aquele que traiu o Senhor por apenas 30 moedas de prata… Pedro também traiu o Senhor, negando-O com medo, mas se arrependeu, voltou e foi honesto com o Senhor: “Tu sabes tudo!”.

E você? Já teve remorso? Já se arrependeu? É tempo de misericórdia! Tempo de voltar para o Senhor, o Pai das Misericórdias.

Pra te ajudar a rezar proponho também no vídeo a música “Em Teu Santuário” da Comunidade Católica Colo de Deus que você confere logo aqui embaixo.

Dá o #Play e vamos juntos meditar! A misericórdia de Deus é pra todos!

Entronizado nos louvores, Tu estás
Neste lugar, neste lugar
Tu és a água que eu preciso
Pra me saciar, me saciar

Aos teus pés rendido estou
Em adoração, Senhor
Quebrantado, atraído, destruído por amor

Quem é esse Rei da glória?
Quem é esse Rei de amor?
Seu amor vale mais que a vida
Apaixonado estou

Contemplando Tua beleza
Contemplando Teu amor
Só uma coisa eu te peço
Vem nesse lugar!

Vem nesse lugar, vem nesse lugar!
Vem nesse lugar, vem nesse lugar!

Não mereço, me envergonho
Eu não posso, mas entrei
No Teu santuário, no Teu santuário!

(Em Teu Santuário | Colo de Deus)

Anúncios

Celebremos a Misericórdia!

Miserando atque eligendo

miserando

“Com misericórdia, o elegeu”. Esse poderia ser o lema do Jubileu Extraordinário da Misericórdia, ou “Ano da Misericórdia”, como ficou popularmente conhecido o tempo que a Igreja viverá de 8 de Dezembro de 2015 a 20 de Novembro de 2016, mas não é. “Miserando atque eligendo” ou “Com misericórdia, o elegeu”, é o lema do pontificado do Papa Francisco, o Pontífice da misericórdia.

Inicio esse texto com o lema de Francisco, porque esse jubileu extraordinário acontece de forma muito significativa durante um papado que tem tido a misericórdia e a proximidade com aqueles que estão à margem como centro das atenções.

Durante o anúncio deste tempo especial, no dia 13 de março, o Sumo Pontífice disse:

“Queridos irmãos e irmãs, pensei em como a Igreja pode tornar mais evidente a sua missão de ser testemunha da misericórdia. É um caminho que inicia com uma conversão espiritual. Por isso, decidi realizar um Jubileu extraordinário que tenha no centro a misericórdia de Deus. Será um Ano Santo da Misericórdia. Queremos vivê-lo à luz da Palavra do Senhor: ‘Sejais misericordiosos como o Pai’ (Lc 6, 36)”.

Por misericórdia o Senhor escolheu Bergoglio como Seu Vigário e por amor Francisco quer levar o povo de Deus de volta ao Coração Misericordioso de Jesus, em especial nesta época em que o mundo passa por tantas tribulações e aflições, calamidades e corrupção.

Para que este Ano seja bem celebrado, Francisco escreveu a bula Misericordiae Vultus”, onde apresenta pistas para que todo fiel experimente da misericórdia que nos tira da margem (do pecado, da enfermidade, da mediocridade) e nos traz para o Centro da vontade de Deus, onde Sangue e Água, sinais da entrega total de Cristo, nos lavam, purificam e nos dão vida nova.

Em certo ponto do documento pontifício, Francisco diz:

“Precisamos sempre de contemplar o mistério da misericórdia. É fonte de alegria, serenidade e paz. É condição da nossa salvação. Misericórdia: é a palavra que revela o mistério da Santíssima Trindade. Misericórdia: é o ato último e supremo pelo qual Deus vem ao nosso encontro. Misericórdia: é a lei fundamental que mora no coração de cada pessoa, quando vê com olhos sinceros o irmão que encontra no caminho da vida. Misericórdia: é o caminho que une Deus e o homem, porque nos abre o coração à esperança de sermos amados para sempre, apesar da limitação do nosso pecado.”

Leia a bula Misericordiae Vultus 

Durante esse Jubileu Extraordinário, muitas serão as iniciativas para que a misericórdia seja efetiva na vida de cada crente. Uma das que mais tem chamado a atenção, é o “perdão” que será dado para as pessoas que cometeram o aborto. Todos os sacerdotes terão a faculdade para a absolvição desse pecado, levando paz aos corações que ainda sofrem.

Que Santa Faustina Kowalska, apóstola da misericórdia, rogue por nós neste novo ano.

Robson Landim
Publicado Originalmente
na Revista Aliança de Misericórida JAN/16

Dois papas, uma Porta Santa e um abraço

A grandeza histórica e espiritual de um gesto inédito

23580368056_86ae11ba15_k

“Hoje o papa Bento atravessou a Porta Santa. Saudemos juntos o papa”, disse Francisco após abrir a Porta Santa da Basílica de São Pedro.

O pontífice emérito foi o segundo a atravessá-la, devagar, apoiado em uma bengala e no braço do secretário, mons. Georg Gänswein. Depois, os dois papas se saudaram com afeto.

Não é apenas a primeira vez que dois papas inauguram um jubileu: é também uma demonstração histórica da continuidade do pontificado, apesar da insistência de setores da mídia laicista em afirmar que Francisco representa uma “ruptura”.

O papa Bento XVI manifesta constantemente o seu apoio e sua alegria com o pontificado do papa Francisco, que, por sua vez, também se refere com frequência ao antecessor e ao seu magistério.

Na diversidade de estilos e modos de ser, a Igreja é una, santa, católica e apostólica: e é assim, unida, que ela atravessa a Porta Santa da Misericórdia, convidando a todos a participar juntos desse percurso de humildade, conversão e fé.

Fonte: Aleteia