O Todo Poderoso fez em mim maravilhas!

A paz de Jesus e o amor de Maria Santíssima estejam conosco! Estamos em pleno Ano Mariano Nacional e nele somos convidados de forma ainda mais especial a imitarmos as virtudes da Mãe de Deus, virtudes essas que ficam muito claras nas pouquíssimas vezes em que ela é citada nas Sagradas Escrituras.

10984596_10208073070328504_998769040167873031_n.jpgA Virgem Maria é cheia de qualidades: serva, obediente, serena, humilde, misericordiosa, mãe atenciosa, intercessora fiel, onipotência suplicante, dentre muitas outras.

Sua vida em nós gera vida e nos faz olharmos de forma mais atenciosa e segura para o Cristo que nos ama e nos chama à missão.

No Canto do Magnificat (Cf. Lucas 1, 46ss), fica claro, por exemplo, o quanto Maria era conhecedora da Palavra de Deus. Ao engrandecer o Deus Santo que nela fez grandes coisas, Maria faz memória de algumas outras passagens do antigo testamento. Nela se cumpria naquele momento sublime o que os profetas e ela mesma esperavam há tanto tempo.

O Poderoso que fez e continua fazendo maravilhas olhou justamente para uma das mais bonitas virtudes de Sua serva: a humildade! Cheia da graça de Deus, Maria nunca se vangloriou de sua “posição”. Sendo Mãe do Senhor e tendo “o Rei na barriga”, colocou-se desde sempre à serviço para que outros tivessem vida e vida em abundância.

Que Maria nos ajude e nos eduque para a santidade!

Robson Landim
youtube.com/vlogrevolucionario

Escrito originalmente para o informativo
da Paróquia Nossa Senhora da Candelária
na cidade de São Caetano/SP

 

Por que chamamos a Virgem Maria de Nossa Senhora?

A Virgem Maria sempre foi chamada de Nossa Senhora

O título de Senhor e Senhora, desde os primeiros séculos do Cristianismo, eram usados para os senhores de escravos, muito comum naquele tempo. Dentro desse contexto, a Virgem Maria disse ao anjo: “Eis aqui a escrava do Senhor” (Lc 1, 38).

anomariano

Mas “Jesus é o Senhor”, como disse São Paulo (Fl 2,11); é o Rei dos Reis; e Sua Mãe é Rainha por consequência. Por isso, a Igreja entendeu que deveria chama-lá de Senhora. Os súditos do Rei eram também servos da Rainha. Ora, se somos súditos de Jesus, o somos também de Maria. A Ladainha Lauretana chama a Virgem Maria de Rainha dos Anjos, Rainha dos Santos, Rainha dos Apóstolos, Rainha dos Mártires, Rainha dos Confessores, Rainha das Virgens, Rainha dos Profetas. Ora, toda Rainha é Senhora em seu reino.

Agradável a Deus, aos anjos e aos homens

lourdes_papa

A Virgem Maria é aquela “cheia do Espírito Santo”, como a saudou sua prima Santa Isabel, que em alta voz disse: “Bendita és tu entre as mulheres” (Lc 1,42). Ela é “a filha predileta de Deus”, diz o Concílio Vaticano II (LG n. 53), “aquela que, na Santa Igreja, ocupa o lugar mais alto depois de Cristo e o mais perto de nós” (Lumen Gentium, n. 54).

São Bernardo, doutor da Igreja, o apaixonado cantor da Virgem Maria, no Sermão 47 diz: “Ave Maria, cheia de graça, porque é agradável a Deus, aos anjos e aos homens. Aos homens, por causa de sua fecundidade; aos anjos, por sua virgindade; a Deus por sua humildade. Ela mesma atesta que Deus olhou para ela porque viu sua humildade”.

São Tomas de Aquino afirmou: “A bem-aventurada Virgem Maria, pelo fato de ser Mãe de Deus, tem uma espécie de dignidade infinita por causa do bem infinito que é Deus”. Ela é Senhora!

“A graça que adornou a Santíssima Virgem sobrepujou não só a de cada um em particular, mas a de todos os santos reunidos”, afirma Santo Afonso de Ligório, doutor da Igreja. Por isso ela cantou no Magnificat: “Desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações, porque realizou em mim maravilhas aquele que é poderoso e cujo nome é Santo…” (Lc 1,42). Ela é Senhora!

Exemplo de todas as virtudes

Maria é um “espelho especialíssimo de Deus”, diz São Tomás de Aquino: “Os outros santos são exemplos de virtudes particulares: um foi humilde, outro casto, outro misericordioso, e assim nos são oferecidos como exemplos de uma virtude. Mas a bem-aventurada Virgem é exemplo de todas as virtudes”, diz o santo.

São Bernardo e Santo Antônio, doutores da Igreja, afirmam que, “para ser eleita e destinada à dignidade de Mãe de Deus, devia a Santíssima Virgem possuir uma perfeição tão grande e consumada que nela excedesse todas as outras criaturas”. Ela é Nossa Senhora!

“Quem se exalta será humilhado e quem se humilha será exaltado” (Mt 23,12). Repetiu várias vezes o Senhor. Logo que Deus determinou fazer-se Homem para redimir o homem decaído e assim manifestar ao mundo Sua misericórdia infinita, certamente buscava entre todas as mulheres aquela que fosse a mais santa e humilde para ser Sua Mãe. Como diz o Livro dos Cânticos: “Há um sem número de virgens (a meu serviço), mas uma só é a minha pomba, a minha eleita” (Ct 6, 8-9).

Foi por sua imensa humildade que Deus tanto exaltou Maria e a fez Sua Mãe, Rainha e Senhora nossa. E a própria Virgem diz no seu canto: “porque olhou para a humildade de sua serva” (Lc 1,48).

Foi essa “humildade” profunda e real que tanto encantou o coração de Deus, fez com que a elegesse a “bendita entre as mulheres”, Sua Mãe, nossa Mãe e Senhora.

Professor Felipe Aquino
Fonte: http://formacao.cancaonova.com/nossa-senhora/devocao-nossa-senhora/por-que-chamamos-a-virgem-maria-de-nossa-senhora/

Ela é a Imaculada Conceição!

Chegamos ao fim de mais um ano. Dezembro é um mês especial para a Igreja Católica e para toda a humanidade, já que o Natal de Jesus fez com que nascesse um novo tempo, um novo calendário. Agora tudo é depois de Cristo (DC). Maria entra nessa história como Mãe, mas também como filha obediente do Pai do Céu que a preparou desde sempre para ser “Theotókos”, do grego “Mãe de Deus”, mas que lhe deu a liberdade de dizer SIM e assim ser cooperadora na redenção humana.

imaculada

Além de celebrarmos o Nascimento de Jesus, lembramos com carinho no dia 8 de dezembro, da Imaculada Conceição da Virgem Maria. Mas o que isso quer dizer? Deus preparou para o Seu Filho Mãe que fosse digna dEle.

O Dogma da Imaculada Conceição de Maria diz respeito à preservação de Maria em relação a macula do pecado originale foi proclamado em 1854 pelo Papa Pio IX. O Youcat – Catecismo Jovem da Igreja Católica – nos diz o seguinte:

“A Igreja acredita ‘que a Beatíssima Virgem Maria, no primeiro instante da SUA concepção, por singular graça e privilégio de Deus Onipotente, em vista dos méritos de Jesus Cristo, salvador do gênero humano, foi preservada imune de toda mancha de pecado original'”. (Cf. CIC 487-492, 508)

A própria Virgem Maria aparecendo em 1858 em Lourdes, na França, para Santa Bernadete Soubirous revelou sua “verdadeira identidade”, dizendo à menina: “Eu sou a Imaculada Conceição!”.

Mesmo antes da proclamação do Dogma em 1854 e da aparição de Nossa Senhora 4 anos depois, muitos santos já acreditavam na Conceição Imaculada de Maria. Santo Afonso Maria de Ligório foi um desses. Em sua obra “Glórias de Maria” de 1750 já dizia: “(…) Maria tinha de ser medianeira de paz entre Deus e os homens. Logo, absolutamente não podia aparecer como pecadora e inimiga de Deus, mas só como sua amiga toda Imaculada. Mais um motivo reclamou que Deus preservasse Maria da culpa original”.

Num outro parágrafo o santo continua: “Ora, Maria devia ser mulher forte, posta no mundo para vencer a Lúcifer. Não convinha certamente, então, que a princípio houvesse sido subjugada e escravizada por ele. Era, pelo contrário, mais razoável que permanecesse livre sempre de toda mácula e de toda sujeição ao inimigo. Esse espírito mau buscou, sem dúvida, infeccionar a alma puríssima da Virgem, como infeccionado já havia com seu veneno a todo gênero humano. Mas, louvado seja Deus!, o Senhor a preveniu com tanta graça, que ficou livre de toda mancha do pecado”.

Até mesmo Martin Lutero, pai do protestantismo falou sobre Maria como aquela que é imune da mancha do pecado: “É cheia de graça, proclamada para ser inteiramente sem pecado, algo tremendamente grande. Para que fosse cheia pela graça de Deus com tudo de bom e para fazê-la vitoriosa sobre o diabo”. Bom, acho que com tantas e boas explicações podemos chegar a uma conclusão: Maria é toda santa, toda pura e toda IMACULADA!

Você provavelmente já deve ter ouvido ou visto no facebook a seguinte frase: “Se a terra onde Jesus andou é santa, imagina então o ventre que o gerou!”. É a mais pura verdade. Deus Pai em sua infinita misericórdia escolheu Maria desde sempre. Lá em Isaias já vemos a profecia: “Por isso, o próprio Senhor vos dará um sinal: uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e o chamará Deus Conosco” (Is 7,14).

Que a Mãe de Deus, a Imaculada Conceição nos ajude a viver este natal com o coração preparado para ser manjedoura viva para Jesus nascer.

Feliz e Santo Natal na presença da Sagrada Família de Nazaré!

Jesus, Maria e José, a minha família vossa é!

Robson Landim

Texto publicado originalmente no informativo da Paróquia Nossa Senhora da Candelária (São Caetano)