Conheça o tema da JMJ Panamá2019

A paz de Jesus e o amor de Maria, galera!

E em especial, o AMOR DE MARIA, já que o Vaticano anunciou hoje que as próximas JMJs (tanto à nível diocesano quanto a do Panamá) terão foco na Virgem Maria.

bote-fe-02-raquel

Tendo início no próximo ano, o ciclo das JMJs com temática mariana está em consonância com os jubileus que também serão celebrados em 2017: os 100 anos da aparição de Nossa Senhora de Fátima em Portugal e os 300 anos da aparição de Nossa Senhora da Conceição Aparecida no Rio Paraíba do Sul, aqui no Brasil.

d3495dcc4e4982f7ea4305cf73fe96ddAlém disso, até o próximo 11 de outubro de 2017, vivemos aqui no Brasil o “Ano Mariano Nacional”, onde pedimos a graça de sermos como Maria, aquela que em tudo fez a vontade do Pai.

“Grandes coisas fez por mim o Onipotente” (Lc 1, 49) será o tema para 2017 (32ª JMJ, âmbito diocesano) e “Não temas, Maria, pois encontraste graça diante de Deus” (Lc 1, 30) será o tema para 2018 (33ª JMJ, âmbito diocesano).

“Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra” (Lc 1, 38) será o tema para a edição internacional em 2019, no Panamá (34ª JMJ).

Eu, Robson Landim, vejo isso como um grito da Igreja de Cristo que nos pede: Não temas em receber Maria por Mãe! Mais do que sairmos por aí dizendo “acaso não sabeis que eu sou da Imaculada?”, entendo essa temática como um apelo para nos assemelharmos à Mãe de Jesus, a mais perfeita discípula do Senhor.

E aí, partiu Panamá?

Um ano para celebrar Maria! #AnoMariano

anomariano1

A paz de Jesus e o Amor de Maria, galeraaaaaa!

Depois de celebrar este SENSACIONAAAAL Ano Santo da Misericórdia, a Igreja do Brasil é agora presenteada e convidada a celebrar um ano todo especial: o Ano Mariano Nacional.

Por conta dos trezentos anos da aparição da imagem de Nossa Senhora da Conceição nas águas do Rio Paraíba do Sul, a CNBB – Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – proclamou o Ano Mariano que será celebrado do dia 12 de outubro de 2016 (Solenidade da Padroeira do Brasil) até o dia 11 de outubro de 2017, véspera do 300º aniversário da pesca milagrosa da imagem Aparecida.

Estando em nosso país, o Papa Francisco nos disse: “Deus ofereceu ao Brasil a Sua própria mãe”. Sendo assim, nesse ano somos convidados a nos unirmos àqueles três pescadores que acreditaram na fiel intercessão da Virgem Maria, vendo ali no Rio que estava vazio, uma grande e milagrosa quantidade de peixes.

Maria não faz milagres, mas como nas Bodas de Caná, ela quer interceder para que a nossa água improdutiva se torne saboroso e glorioso vinho de bênçãos e graças vindas do coração do próprio Jesus, Aquele a quem ela nos ensina sempre a obedecer. “Fazei o que Ele vos disser” (cf. Jo 2, 5) é o maior ensinamento da Virgem Mãe que nos acolhe e nos quer moldar em sua forma.

Durante esse tempo vou postar algumas dicas, vídeos lá no canal, dicas e resenhas de livros, orações, eventos e tudo o mais que diz respeito a esse ano todo dedicado à nossa Mãe.

Aproveita e já assiste esses vídeos que já gravei sobre Nossa Senhora:

Salve Maria, Rainha e Padroeira do Brasil!
Celebremos com gratidão esse Ano Mariano Nacional!

Tamu Juntu!

Maria, simplesmente Mãe!

simplesmentemae

É maio, mês dedicado à Maria. É também mês das mães, aquelas que nos geram, educam, formam e amam.

Estando aos pés da Cruz, Maria escutou do próprio Jesus: “Mulher, eis aí o teu filho”. Naquele momento o apóstolo João, o mais amado, recebeu Maria em sua casa. De Jesus, João recebeu também a responsabilidade de amar, zelar e cuidar daquela que é a Bendita entre todas as mulheres, aquela que todas as gerações chamarão de bem-aventurada.

Também nós, pela ordem da graça, somos convidados a recebermos Maria em nossa casa, em nossa vida, em nossa família, em nossa realidade pessoal e a fazermos dela parte de nossa história.

A Maternidade de Maria – maternidade divina – é um dogma da Igreja Católica Apostólica Romana. Muitas vezes alguns irmãos separados vêm nos questionar sobre essa realidade tão própria de Nossa Senhora. Eles atestam que Maria é mãe de Jesus Homem e não de Jesus Deus, fazendo assim uma separação das naturezas de Cristo.

Nós católicos cremos que Jesus é 100% homem e 100% Deus. Ele viveu integralmente a nossa realidade – só não no pecado – e vive integralmente a mesma realidade que o Pai e o Espírito Santo, sendo Deus e Senhor. Vejamos se é difícil entender essa conta tão simples:

  • Jesus é Deus! Ok?
  • Maria é Mãe de Jesus! Ok?

Qual é o resultado? Maria é MÃE DE DEUS!

A Constituição Lumen Gentium afirma no parágrafo 53: “A Virgem Maria, que na Anunciação do anjo, recebeu o Verbo de Deus no coração e no corpo e trouxe ao mundo a Vida, é reconhecida e honrada como verdadeira Mãe de Deus e do Redentor”

O Deus que se fez carne quis precisar de uma família para realizar o seu plano de salvação. Hoje com a crise familiar querem até mesmo nos abster da utilização dos nomes “pai” e “mãe”, denominando-os assim como “genitor 1” e “genitor 2”. Isso é fruto da maligna ideologia de gênero. Mas enfim, Jesus mesmo não precisando, quis ter uma família e como toda família tradicional, é formada por um Pai e por uma Mãe. Para isso, Deus Pai em seu infinito amor e em sua infinita misericórdia, preparou desde sempre uma mãe que fosse digna de seu Filho.

Desde o antigo testamento os profetas falavam de Jesus, o Messias que libertaria o povo da escravidão do pecado. Maria também é “citada” como aquela que traria ao mundo, através de sua maternidade, o Salvador, o próprio Filho de Deus:

Por isso, o próprio Senhor vos dará um sinal: uma virgem conceberá e dará à luz um filho, e o chamará Deus Conosco” (Isaias 7, 14)

São Bernardo, grande mariano, escreve sobre o momento da anunciação e da expectativa no entorno do Fiat (faça-se) que faria de Maria a mãe do Redentor:

“Ó Virgem piedosa, o pobre Adão, expulso do paraíso com sua mísera descendência, implora a tua resposta. Implora-a Abraão, implora-a Davi; e os outros patriarcas, teus antepassados… suplicam esta resposta. Toda a humanidade, prostrada a teus pés, a aguarda. E não é sem razão, pois do teu consentimento depende o alívio dos infelizes, a redenção dos cativos, a libertação dos condenados, a salvação de todos os filhos e filhas de Adão, de toda a tua raça. Responde depressa, ó Virgem! Pronuncia, ó Senhora, a palavra esperada pela terra, pelos infernos e pelos céus. O próprio Rei e Senhor de todos, tanto quanto cobiçou a tua beleza, deseja agora a tua resposta afirmativa, porque por ela decidiu salvar o mundo. Agradaste a ele pelo silêncio, muito mais lhe agradarás pela palavra … Se tu lhe fizeres ouvir a tua voz, ele te fará ver a nossa salvação”.

Salve Maria!
Somos de Maria!

Já assistiu o primeiro vídeo do #VlogREVOLUCIONÁRIO? Não? Então [e só dar o #Play e conferir esse bate papo super bacana sobre modéstia, devoção mariana, sinais exteriores da consagração à Nossa Senhora e muito mais.