Quem pode ser santo? #Youcat

PodeSerSanto

As vezes a #santidade parece algo tão distante, não é? Se nós olhamos para alguns santos, então, aí que a situação piora, não é verdade?

São Francisco? Santa Teresinha do Menino Jesus? São João Paulo II?

Eita! A coisa ficou séria para o nosso lado! Será que um dia conseguiremos? Será que a #santidade realmente é pra todo mundo? Esses são alguns questionamentos que vão surgindo ao longo do nosso caminho de fé, principalmente se somos jovens assíduos na vida da Igreja.

Todos queremos ser santos! Mas, ser santo, é na verdade um “sonho” até mesmo inconsciente do nosso coração que podemos traduzir por: saudade do Céu! Saudade de Deus! Saudade do Eterno!

A #santidade é pra todos nós! É nossa primeira vocação! É o chamado de TODOS OS FILHOS DE DEUS.

Viemos do coração de Deus e para Ele devemos voltar. Mas isso só acontecerá se formos santos. Vale a pena ver o que o Youcat nos fala sobre isso:

“Só na Santidade o ser humano se torna aquilo para que Deus o criou. Só na santidade o ser humano chega à verdadeira harmonia consigo mesmo e com o Criador. A Santidade não é, todavia, uma perfeição de ‘fabricação caseira’; ela atinge-se por união com o Amor encarnado, que é Cristo. Quem, deste modo, atinge uma vida nova, torna-se e descobre-se santo” (Youcat 342) 

Nesse pequeno vídeo também falo um pouco sobre esse nosso desejo e questionamento. Clica aê: 

Deus te abençoe!
Paz e Misericórdia!

Anúncios

Maria| A Imaculada Conceição no Catecismo da Igreja Católica

maeemestra

maepeb

Salve Maria!

Celebramos hoje a festa da Imaculada Conceição, Dogma proclamado em 1854. Um dogma é uma grande verdade de fé, que tem toda fundamentação em Deus e em Seus mistérios.

Muitos irmãos cristãos duvidam da concepção sem mancha de Nossa Senhora. Este dogma não diz respeito à concepção de Jesus e sim de Maria. Ela não é pura desde o nascimento de Jesus, mas sim, pura Antes, Durante e Após a concepção do Menino Deus. 

O Dogma da Imaculada Conceição de Maria refere-se à concepção da própria Mãe de Deus, preservada do pecado original desde antes do ventre de sua mãe, Santa Ana.

Veja o que o Catecismo da Igreja Católica diz sobre este título/dogma de Nossa Senhora:

492. Este esplendor de uma «santidade de todo singular», com que foi «enriquecida desde o primeiro instante da sua conceição» (141), vem-lhe totalmente de Cristo: foi «remida dum modo mais sublime, em atenção aos méritos de seu Filho» (142). Mais que toda e qualquer outra pessoa  criada, o Pai a «encheu de toda a espécie de bênçãos espirituais, nos céus, em Cristo» (Ef 1, 3).«N’Ele a escolheu antes da criação do mundo, para ser, na caridade, santa e irrepreensível na sua presença» (Ef 1, 4).

508. Na descendência de Eva, Deus escolheu a Virgem Maria para ser a Mãe do seu Filho. «Cheia de graça», ela é «o mais excelso fruto da Redenção» (182). Desde o primeiro instante da sua conceição, ela foi totalmente preservada imune da mancha do pecado original, e permaneceu pura de todo o pecado pessoal ao longo da vida.

510Maria permaneceu «Virgem ao conceber o seu Filho, Virgem ao dá-Lo à luz, Virgem grávida, Virgem fecunda, Virgem perpétua» (183); com todo o seu ser; ela é a «serva do Senhor» (Lc 1, 38).

511. A Virgem Maria «cooperou livremente, pela sua fé e obediência, na salvação dos homens» (184). Pronunciou o seu «fiat» – faça-se – «loco totius humanae naturae – em vez de toda a humanidade» (185): pela sua obediência, tornou-se a nova Eva, mãe dos vivos.

Iae, alguma dúvida?
Se sim, recorra ao seu Youcat, na pergunta 83!

Paz e Fogo!!!

Ano da Fé| A Missão da Igreja, Povo de Deus… #PapaFrancisco

Paz e Fogo galera!

O Papa Francisco dando continuidade ao Ano da Fé promulgado pelo Papa Emérito Bento XVI através da Carta “Porta Fidei”, vem falando de como podemos viver a fé de forma ativa e dinâmica, a fim de construirmos a civilização da Paz e do Amor.

1001774_419243768183676_1146197447_n

Na Audiência Geral do dia 12 de junho, o Papa Francisco fez um estudo sobre a expressão “Povo de Deus”, com a qual o Concílio Vaticano II definiu a Igreja. Através da Constituição Dogmática Lumen Gentium e do Catecismo da Igreja Católica, o Sumo Pontífice meditou sobre essa realidade afetiva daqueles que pertencem a Igreja de Cristo: Somos Povo de Deus!

Olha só a definição de Povo de Deus dada por nosso amado Papa:

O que quer dizer ser «Povo de Deus»? Antes de tudo, significa que Deus não pertence de modo próprio a qualquer povo, pois é Ele que nos chama, que nos convoca, que nos convida a fazer parte do seu povo, e este convite é dirigido a todos, sem distinção, porque a misericórdia de Deus «deseja que todos os homens se salvem» (1 Tm 2, 4). Jesus não diz aos Apóstolos e a nós que formemos um grupo exclusivo, um grupo de elite. Jesus diz: ide e ensinai todas as nações (cf. Mt 28, 19).

Além de definir e nos explicar o que significa ser ‘Povo de Deus’, o Papa Francisco nos chama a refletirmos sobre a nossa missão quanto esse povo escolhido. O que devemos fazer? Qual nossa missão específica? A que somos chamados?

Veja só:

card_anodafe

E o Papa continua: “…significa anunciar e levar a salvação de Deus a este nosso mundo, que muitas vezes se sente perdido, necessitado de respostas que animem, que infundam esperança e que dêem um vigor renovado ao caminho. A Igreja seja lugar da misericórdia e da esperança de Deus, onde cada qual possa sentir-se acolhido, amado, perdoado e encorajado a viver em conformidade com a vida boa do Evangelho.”

É isso aê galera! Precisamos ser, como Povo de Deus, Sal da Terra e Luz do Mundo!

Precisamos dar o sabor de Deus para aquilo que está insosso, sem gosto. Precisamos levar a Luz de Deus para os povos quem andam nas Trevas, na escuridão do pecado, da falta de fé, da falta de formação, da falta de Deus!

Como Povo de Deus, precisamos ser missionários que transbordam o Amor Afetivo e Caridoso de Deus por onde passamos!

Paz e Fogo!

Leia na íntegra o discurso do Papa Francisco