Saia do túmulo!

A paz do Cristo Libertador, galera!

Passamos da Oitava de Páscoa e já começamos a perceber os frutos de ressurreição em nossa vida. Se isso não aconteceu ainda, há algum problema aí.

saiadotumulo

Ressuscitar é mais do que voltar a viver! Ressuscitar também pressupõe uma vida nova, cheia de novidades, cheia de Deus e da vivência de Sua vontade. Ressuscitar é também passar a ter uma vida gloriosa, para que os outros reconheçam em nós, apesar de nossas feridas, a vida!

Cristo Ressuscitou e muita gente não acreditou firmemente. Como eu disse num outro texto aqui do blog (clica aqui pra ver esse também), Maria foi a única que acreditou 100% na promessa da promessa da ressurreição. Os outros (Pedro, João, Tomé, Madalena, Discípulos de Emaús) tiveram medo, insegura, incertezas e por isso vacilaram ao ver o túmulo vazio ou ao ouvir o anúncio da ressurreição.

Na nossa vida acontece a mesma coisa, mas de um modo ainda pior: ressuscitamos com Cristo (por força e amor dEle), mas permanecemos no sepulcro porque não temos coragem, força, disposição, esperança e muitas outras coisas para nos desfazermos dos lençois que nos amarram e da pedra que fechava o sepulcro.

Não acreditar FIRMEMENTE na ressurreição nos leva à vida velha (não só de pecado, mas de atitudes antigas), como aconteceu com Pedro e outros discípulos que foram novamente pescar (o que fizeram sem sucesso). Por isso, não crer que você foi RESSUSCITADO não te deixa avançar até a glória, mas te paralisa no sepulcro e mesmo que o Senhor lhe fale ao pé do ouvido, você não o reconhecerá e achará que Ele é o jardineiro ou algum desinformado que anda pela cidade.

Realmente muitos de nós não temos as forças necessárias para sozinhos nos desamarrarmos e nem para rolarmos a pedra que nos prende à morte (desesperança, pecado, tristeza, luto), por isso é necessário deixarmos que outros nos ajudem.

Lembra que quando Lázaro foi ressuscitado, Cristo pediu que retirassem a pedra do túmulo? Então, deixe que também seus amigos, irmãos de caminhada, superiores, te ajudem a rolar essa pedra que é tão grande. Deixe que sua comunidade (família, pastoral, amigos, comunidade religiosa) te desamarre e ajude a ver o sol novamente…

Não seja como TOMÉ! Acredite sem ver! Acredite por AMOR! Acredite porque você nunca foi enganado por esse Deus-Amor! Acredite e aí sim você tocará tantos sinais, milagres e prodígios do Senhor.

Bora ressuscitar de uma vez por todas? Bora pedir a graça de termos a “fé de Maria” para sempre crermos na ressurreição?

Que Deus nos abençoe!

E parça, precisando, estamos aqui!

Ah! Preguei sobre esse tema no Grupo de Oração Aurora da Comunidade de Aliança Cristo Libertador. E lá preguei sobre esse tema e também testemunhei como fui ‘ressuscitado’. Quer assistir? É só clicar aí: http://bit.ly/PregacaoRessurreicao

Uma lista de AMIGOS!

Paz e fogo, galera! Bora falar de amizade? Sei que esse é um tema recorrente, mas ele tem mexido comigo nos últimos tempos. Quer dizer, nos últimos dias mesmo.

los-amigos-se-preocupan-por-ti.jpg

Tive que fazer uma atividade da formação vocacional da Comunidade da qual eu participo. Nessa atividade, uma das questões me pedia para listar meus amigos de dentro e de fora da Comunidade. Logo pensei: vai ser fácil. Fácil mesmo.

Ps: sempre vai parecer fácil listar os amigos que temos. Mas aí é necessário olhar através de outros óculos. No meu caso, através dos óculos do carisma da CACL, carisma esse que me exige VERDADE.

Voltando: Comecei a listar e vi que podia contar nos dedos das mãos e de um pé os amigos que tenho. E olhe lá! Mas esses que listei, estão na lista por ótimos motivos, dentre eles, a VERDADE. Percebi que amigos mesmo são aqueles que não se escandalizam com a VERDADE da minha vida e que não têm medo de me deixar tocar em suas VERDADES que nem sempre são tão bonitas, cheirosas, brilhantes… assim como as minhas também na maioria das vezes não são.

Ps 2: muita gente lê a passagem do Eclesiástico 6, 14-17 que diz que “quem achou um amigo, encontrou um tesouro”, imaginando que nas amizades encontrarão apenas pérolas, ouro, prata… mas se esquecem que o maior tesouro que há no outro é a sua VERDADE e disposição de amar.

Voltando: Escrevi, então, o nome de pouquíssimas pessoas: meus irmãos de ministério de música (dentre eles, dois irmãos de sangue: o Dede e a Nana, e minha cunhada Cíntia), dois amigos do serviço (Plus e Calango) e alguns amigos da Comunidade. Dentre esses, alguns que não tiveram medo de chegar, confiar a mim suas dores mais profundas e até seus pecados, acreditando que eu poderia ajudá-los de alguma forma, nem se fosse só ouvindo. E assim aconteceu! Aconteceu também comigo: pude e posso partilhar com eles as minhas dores, angústias, alegrias, tristezas, esperanças, sonhos… sei que estarão comigo independente da distância ou do tempo que passamos juntos.

Ps 3: Encontrei tesouros! Alguns malacabados, mas preciosíssimos, cheios de vida, cheios de verdade, cheios de coragem.

Encerrando: com alegria hoje olho pra essa lista e com certeza posso dizer: não errei em nenhum nome que ali coloquei! Foram e são presentes de Deus. Outros virão? Claro! Depende muito mais de mim do que deles. Depende da minha abertura, da minha humildade, da minha postura…

Pronto! Escrevi tudo isso pra te dizer: Não tenha medo de SER e TER amigos! Olhe pra Jesus: Ele tinha poucos amigos, mas foi por um deles que Ele chorou, se compadeceu, se entristeceu pela morte…

Deus abençoe!
Paz e Misericórdia!

Uma Folia dos Anjos!

Falar em carnaval é um tabu muito grande dentro da Igreja, até porque, o que vemos hoje (apesar das pessoas que vão apenas pra se divertir) é muita depravação, falta de dignidade, dentre tantas outras coisas que nos entristecem.

Nesse carnaval tive a oportunidade de ir para o Rio de Janeiro em missão com a comunidade onde faço caminho vocacional, a Cristo Libertador. Lá nos unimos à Comunidade Do Caos à Glória, que já desempenha esse trabalho de evangelização no carnaval há algum tempo. Ambas integram a Agência Missionária Novos Atos que você pode conhecer através da fanpage: http://www.facebook.com/agencianovosatos

17021649_10212308751537887_8489168083068687967_n.jpg

Divididos em quartetos, partimos em mais de 150 missionários para duas grandes festas: a de Madureira (no sábado) e o Bloco de Ipanema (no domingo).

Realmente não sei dizer qual foi mais difícil, visto que cada uma tem as suas peculiaridades. Mas posso dizer: Meu coração doeu ao ver tanta gente alcoolizada, drogada, perdida literalmente. Pessoas que não querem mais saber de Deus e muito menos da dignidade reservada para aqueles que são Seus filhos tão amados.

Essa missão intitulada “Folia dos Anjos” tem realmente o intuito de “pregar o Querigma” para aqueles que talvez nunca ouviram falar de Deus, mas também de reacender nos corações mais duros, o amor de Deus que já os impactaram.

Falando nisso, pude conversar com algumas pessoas que já tinham feito a experiência de Deus, mas que tinham se afastado dEle e da Igreja. Isso nos entristecia, porque eram até mesmo pessoas que já tinham estado na mesma posição que nós, de evangelizadores.

Na noite de sábado quando estávamos em Madureira, Deus agiu PODEROSAMENTE e pudemos realmente levar LUZ para algumas situações de CAOS que encontramos. Mas o que realmente me impactou foi a forte presença da Virgem Maria – a Virgem do Calcanhar – (fazendo referência ao Gênesis), “personagem principal” dessa edição. Ela realmente imperou “temível como um exército em ordem de batalha”. Era nítido ver como a presença de Maria incomodava, mas também amava e abria caminho. Em Madureira o que mais me abalou foi o modo com o qual as pessoas se afogavam na bebedeira. Misericórdia! Era realmente triste!

Já no domingo em Ipanema, região mais nobre, a degradação era ainda maior! Além de tudo, as pessoas eram mais duras para receberem o anúncio da palavra. Pessoas mais intelectuais, com maior poder aquisitivo e talvez por isso, se sentido ainda mais “autossuficientes”. Que triste ver que as pessoas já nem querem mais a ajuda de Deus. Que se fantasiam e se intitulam como “diabos”, que não têm mais pudor, que não cobrem seus corpos e nem sabem mais o valor que têm. Mas ali também pudemos contemplar a bondade e a misericórdia de Deus para com todos, principalmente com os missionários, já que somos os primeiros tocados pelo conteúdo da evangelização.

16938774_1020474341421414_50893674183585983_n.jpg

O que realmente mais me tocou nesses dias, foi a presença ALEGRE e DETERMINADA dos missionários. Mesmo estando “só o pó da rabiola”, ninguém queria deixar de louvar, dançar, evangelizar, falar do amor de Deus… Fomos com bateria, estandartes, asas de anjo, apitos…

Trago no coração, como verdade, o que cantamos diversas vezes no metrô, nas ruas, nos bailes: “o Senhor falou, não tem caô, é TUDO NOSSO!”. É tudo nosso! O que um dia o diabo tentou roubar (dignidade, felicidade, verdade, amor), Deus restitui através da ousadia dos missionários e da abertura dos corações que são alvos da missão. É tudo nosso!

Que venham mais missões! Que realmente como cristãos – outros e pequenos Cristos – possamos adentrar realidades caóticas para levar a luz que emana do Cristo Libertador, para assim vermos a Sua glória resplandecer.

Que Viva Cristo Rei!
Que Viva! Que Viva! Que Viva!

Saiba mais (é só clicar no nome!)
Comunidade Cristo Libertador
Comunidade Do Caos à Glória
Agência Novos Atos