Quem pode ser santo? #Youcat

PodeSerSanto

As vezes a #santidade parece algo tão distante, não é? Se nós olhamos para alguns santos, então, aí que a situação piora, não é verdade?

São Francisco? Santa Teresinha do Menino Jesus? São João Paulo II?

Eita! A coisa ficou séria para o nosso lado! Será que um dia conseguiremos? Será que a #santidade realmente é pra todo mundo? Esses são alguns questionamentos que vão surgindo ao longo do nosso caminho de fé, principalmente se somos jovens assíduos na vida da Igreja.

Todos queremos ser santos! Mas, ser santo, é na verdade um “sonho” até mesmo inconsciente do nosso coração que podemos traduzir por: saudade do Céu! Saudade de Deus! Saudade do Eterno!

A #santidade é pra todos nós! É nossa primeira vocação! É o chamado de TODOS OS FILHOS DE DEUS.

Viemos do coração de Deus e para Ele devemos voltar. Mas isso só acontecerá se formos santos. Vale a pena ver o que o Youcat nos fala sobre isso:

“Só na Santidade o ser humano se torna aquilo para que Deus o criou. Só na santidade o ser humano chega à verdadeira harmonia consigo mesmo e com o Criador. A Santidade não é, todavia, uma perfeição de ‘fabricação caseira’; ela atinge-se por união com o Amor encarnado, que é Cristo. Quem, deste modo, atinge uma vida nova, torna-se e descobre-se santo” (Youcat 342) 

Nesse pequeno vídeo também falo um pouco sobre esse nosso desejo e questionamento. Clica aê: 

Deus te abençoe!
Paz e Misericórdia!

Anúncios

Como se portar na internet?

Paz e fogo, galera! Firme?

O vídeo mais recente do #VlogRevolucionário é uma entrevista que fiz para o programa “A Arte da Vida” da qual sou produtor e repórter. O programa vai ao ar nas TVs Século 21 e Milícia da Imaculada.

Mas vamos para o que interessa! O entrevistado, o Irmão Darlei Zanon, da Congregação dos Padres e Irmãos Paulinos, é um estudioso da área da ciberteologia ou cibereclesiologia como ele chama. Essa entrevista aconteceu justamente num “Café Teológico” promovido pela Paulus e que tinha como temática “a Igreja Católica em tempos de rede”.

Nesse vídeo ele fala sobre a presença da Igreja na Web, sobre como devemos nos portar no ambiente digital e também como deve ser a nossa “contribuição” em assuntos polêmicos como aborto, ideologia de gênero, eutanásia, dentre outros.

Vale a pena assistir!

Se você faz parte de PASCOM, Ministério de Comunicação ou conhece alguém que acha que encher a sua timeline de GIFs brilhantes de Jesus, Maria e frases bíblicas é evangelizar, aproveite e mande esse vídeo, pois o conteúdo é muito valioso e nos ajuda a repensarmos a nossa presença nesse ambiente tão propício para evangelizar os batizados. #Play!

Resenha| Risos e lágrimas em Betânia

Deus se fez gente para nos salvar e para nos ensinar a sermos gente de verdade, para nos religar ao Pai e para restabelecer em nós a Sua imagem e semelhança. Isso nós sabemos muito bem, não é? Sendo gente, Jesus passou por tudo o que passamos, só não pelo pecado. Sendo assim, sua vida terrena foi permeada também por boas companhias e amizades com cheiro de eternidade.

14462745_10210817878666997_6149835196357536317_n“Risos e lágrimas em Betânia – A amizade na vida de Jesus” (Editora Paulus, 2013, 120 páginas) da religiosa Lúcia F. Arruda nos traz justamente, num misto de realidade e ficção, a relação de Jesus com os irmãos de Betânia: Lázaro, Maria e Marta.

O romance trata de forma muito próxima, a amizade que desde a infância Jesus nutriu com os três, além de sua relação com a casa que sempre o acolhia. No contexto da amizade, Betânia viu diversas reações de Jesus, como o próprio titulo da obra sugere. Muitas foram as lágrimas e os risos, no lugar onde Jesus não precisava se preocupar ou se envergonhar.

Nos 11 capítulos, acompanhamos tanto o crescimento físico, quanto afetivo dos personagens. São muitas as conversas e atitudes que reforçam a cada parágrafo a amizade com o Eterno.

14642396_10210915803555058_3357895901375677344_nClaro, nas 120 páginas muitas vezes é difícil entender o que é realidade e o que é ficção, já que há embasamento em cada uma das linhas, mas ao mesmo tempo, não nos atemos a isso, já que o texto no prende e nos submerge nessa atmosfera onde o Amor ama e é amado sem reservas.

Além disso, a obra nos leva aos bastidores de passagens bíblicas conhecidas, onde os irmãos-amigos de Betânia estavam presentes, como a ressurreição de Lázaro, onde Jesus chorou, se compadeceu e fez a obra que maravilhou a todos; o dia em que Maria ungiu a cabeça de Jesus com perfume de nardo e foi repreendida por todos; o dia em que Maria escolheu a melhor parte…

Uma das partes que mais me tocou, foi no fim do livro onde após a ressurreição de Jesus, Maria Santíssima foi à casa dos irmãos de Betânia para convidá-los para um momento de oração e eleição. Ela, “a Mãe de Jesus escutava mais do que falava, permanecendo a maior parte do tempo, numa atitude silenciosa e contemplativa. Seu rosto transmitia paz e serenidade: saboreava a presença do Filho e se sentia em perfeita comunhão com Ele” (p. 105).

No fim do livro, como não poderia ser diferente, a autora nos leva a conhecer como aconteceu a Páscoa Eterna dos amigos do Messias. Essas linhas eu transcrevo aqui:

9788534936125Lázaro: Após pregar na sinagoga em Salamina com intrepidez, Lázaro foi arrastado e apedrejado. Foi levado pra casa e lá teve seus últimos momentos. No livro encontramos o seguinte:  (p. 114) “Lázaro recordava-se das palavras de Jesus, quando ele dissera: ‘Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida por seus amigos’ (Jo 15, 13). Alegrava-se por estar dando a maior prova de amor: entregando a vida pelo Amigo e testemunhando com coragem a sua ressurreição”.

Marta: (p. 115) “Em Betânia, Marta continuou exercendo a diaconia até os últimos dias da sua vida. Dedicava-se ao anúncio do Evangelho e ao serviço dos pobres e doentes. Um dia, porém, caiu gravemente enferma e preparou-se para o encontro definitivo com Jesus. Lembrava-se de que costumava esperar as visitas do Mestre com grande ansiedade, e do quanto se esmerava em colocar-se a serviço do Reino anunciado por ele. Agora, enquanto aguardava a chegada do Amigo, que estava às portas, parecia-lhe ouvir a sua voz”.

Maria: (p. 116) “Maria de Betânia viveu em Roma até os últimos dias da sua vida. Costumava dizer ao seu filho que, desde o dia em que ungira Jesus como Messias, suas mãos gotejavam perfume por onde andava, pois procurava viver de acordo com as palavras do apóstolo Paulo (2Cor 2, 14-15a). Assim vigilante, com sua lâmpada acesa (cf. Mt 25, 1-13), Maria de Betânia aguardava a chegada do Amigo”.

Eu realmente me emocionei com cada capitulo dessa história. Mesmo que não seja inteiramente realidade, cada uma das linhas me aproximou e me fez desejar ainda mais ardentemente a amizade de Jesus.

Vale à pena adquirir, ler, emprestar…

“Risos e Lágrimas em Betânia – A amizade na vida de Jesus”.
Lúcia F. Arruda (Religiosa da Congregação de N. Sra. do Cenáculo)
Editora Paulus – www.paulus.com.br/loja
Valor: R$ 21,00