Não tenha medo da sua verdade!

Paz e Fogo, galera! Seguinte, bora falar de um assunto não tão agradável? Sabe que assunto é esse? Você!

Isso mesmo. Falar de nós mesmos é sempre desagradável quando falamos da nossa verdade, daquilo que está no íntimo, daquilo que talvez nem o seu melhor amigo saiba, mas que o Deus escondido sabe perfeitamente.

Gosto muito da passagem do encontro de Jesus com a Samaritana (cf. João 4, 5-42) e do modo como o Senhor a conduz até a verdade que liberta e salva.

jesus151.jpg

Jesus, além de se apresentar como Caminho, Verdade e Vida, faz com que a mulher se encontre consigo mesma e assim enxergue que em sua verdade não há liberdade, nem amor, nem cuidado, mas apenas solidão.

Tiveste cinco maridos, e o que agora tens não é teu. Nisto disseste a verdade”, diz Jesus no versículo 18, ao pedir que a mulher chamasse seu esposo e escutar a negativa da mesma. De forma “atual”, podemos dizer que Jesus pediu a ela: “vai lá, chama tua verdade e vem aqui”, como canta o Juninho Cassimiro.

Ela teve coragem de rasgar o coração e ali apresentar ao Senhor sua miséria e ainda pedir: “dá-me desta água!”. Mesmo quando estamos “no fundo do poço”, há solução! Basta deixar que Jesus, a Verdade encarnada se sente há beira do poço para te ouvir, para te amar e para trazer à tona sua podridão, sua sujeira, seu pecado… por mais que doa, Jesus é o único que “não liga” para o cheiro terrível que pode vir disso tudo, pelo contrário, Ele toca cada realidade a fim de purificar, amar, cuidar, sarar…

Principalmente nós que estamos no “pelotão de frente” como ministros de música, pregadores, formadores, ministros de dança, catequistas, dentre outros ministérios, corremos o risco de criarmos personagens e assim assumirmos histórias que não são nossas, apesar de participarmos delas..

Quantas pessoas têm uma máscara para cada ocasião: um personagem na comunidade, um personagem no Grupo de Oração, outro no trabalho, outro em casa… e até outro diante do Senhor.

PASSAMOS por tantas situações de pecado, por tantas tristezas e desilusões, por tantas estradas tortuosas… mas o problema mesmo é quando paramos nisso e fazemos dessas situações a nossa verdade. Até essa “verdade que tomamos como nossa” precisamos apresentar ao Senhor.

tirando-mascara.jpg

É na verdade que Ele age. É na verdade que Ele nos cura. É na verdade (por pior que esta seja) que o milagre acontece.

Imagine você no consultório médico. O doutor te pergunta: o que você está sentindo? E você responde: “dor de cabeça”, sendo que na verdade você está com algum problema intestinal. Você acha que mentindo assim você terá será medicado de forma correta? Você acha que será curado? Acha que algo será eficaz?

Apenas agindo na verdade podemos ser curados inteiramente!

Muitas vezes nossa VERDADE nos causa vergonha. Mas fazer o que, não é? Não tivemos vergonha de “cometer” essa verdade, porque teremos, então, vergonha de apresenta-la ao Senhor e aos que estão mais próximos de nós e que merecem saber da verdade?

Pense nisso! Eu estou passando por esse processo e te convido a caminhar comigo por este caminho as vezes tão duro, mas que nos leva ao poço onde beberemos da água que sacia e dá vida.

Bora rezar com música?

 

Deus te abençoe!
Vamos juntos?

Robson Landim
instagram.com/robsonpaes1

Uma carta de amor para nós!

formaçao_720-x-230--720x230.png

Mais do que um conjunto de 73 livros divididos em Antigo e Novo Testamento, “a Bíblia é a carta do amor de Deus dirigida a nós” (Sören Kierkegaard). A Maria Paola, co-fundadora da Comunidade Aliança de Misericórdia também proclamava essa verdade ao ensinar o estudo da Palavra aos seus irmãos.

Ler, estudar, entender e viver a Palavra de Deus é ter a certeza de ser guiado por um Deus que fez e faz tudo por amor aos Seus filhos. São histórias reais de milagres, superação, vivência da fé, ressurreição, dentre tantas outras temáticas. A Bíblia Sagrada não fica para trás de nenhum outro livro de qualquer que seja o gênero. Nela encontramos de romance à aventura, de humor à espiritualidade.

Mas para que seja absolvido o conteúdo de tamanha carta amorosa, é preciso dar tempo a Ela. É preciso parar, ler e seguir alguns outros passos: 

  1. Leitura: Ler pequenos trechos (iniciar pelos Evangelhos) com calma e atenção, com uma caneta na mão para grifar o que achar mais importante, reler, identificar pontos não conhecidos ou que chamem a atenção, imaginar a cena. É neste primeiro passo que procuro entender o que a Palavra ‘diz em si’.
  2. Meditação: É hora de ir mais fundo. Se aprofundar em cada frase, confrontar com a sua vida e sua história. Saborear a Palavra de Deus como o “prato principal” do seu dia. É o momento que mais exige concentração. Neste passo eu devo perguntar: o que a Palavra ‘diz para mim?’.
  3. Oração: Agora, pela oração, sou eu quem ‘digo algo a Deus’. Se você fizer uma boa meditação, naturalmente começará a rezar com a passagem bíblica escolhida. Depois de ouvir o que Deus lhe falou, é hora de falar com Ele. É o momento da sua resposta diante do que Ele lhe propôs: pode ser um louvor, um pedido, um ato de arrependimento, um clamor. O importante é externar o resultado da sua meditação, da sua vivência com a Palavra.
  4. Contemplação: Num profundo silêncio diante de Deus e de Sua Palavra, deixe que Ele reine. Adore-O. Entregue-se a Ele em oferta para que Ele faça o que quiser.

Após ter feito este caminho, posso ainda escolher um propósito concreto para viver a Palavra, por exemplo: amar concretamente as pessoas, perdoar alguém que me magoou, fazer um gesto de caridade a algum pobre etc.

Ainda ficou com dúvidas? Uma boa dica para esse mês é o livro “A Palavra de Vida” escrito pela própria Maria Paola, onde ela nos ajuda no aprofundamento da vivência da história do povo de Deus e da salvação.

Robson Landim – Jornalista e Colaborador Aliança de Misericórdia
Publicado originalmente na Revista Aliança de Misericórdia de Setembro/2016

Não mereço! Me envergonho! Remorso x Arrependimento #VR2

13173089_10209493424676475_7237708513350674615_o

Paz e Fogo, juventude!
Está no ar o segundo vídeo do #vlogREVOLUCIONÁRIO!

Dessa vez o assunto fala forte ao nosso coração porque, independente de religião, cor, condição social ou qualquer outra coisa, todos nós já passamos por isso.

REMORSO X ARREPENDIMENTO. Qual é a diferença? O que é bom para mim? Como me arrepender e porque me arrepender?

No vídeo dou o exemplo de São Pedro e Judas Iscariotes. Ambos foram escolhidos por Jesus, caminharam, rezaram e festejaram com Ele, mas também o traíram e negaram. Jesus, o rosto da misericórdia podia e com certeza perdoaria os dois, mas um teve apenas remorso e se tremeu de medo da misericórdia de Deus. Esse foi judas, aquele que traiu o Senhor por apenas 30 moedas de prata… Pedro também traiu o Senhor, negando-O com medo, mas se arrependeu, voltou e foi honesto com o Senhor: “Tu sabes tudo!”.

E você? Já teve remorso? Já se arrependeu? É tempo de misericórdia! Tempo de voltar para o Senhor, o Pai das Misericórdias.

Pra te ajudar a rezar proponho também no vídeo a música “Em Teu Santuário” da Comunidade Católica Colo de Deus que você confere logo aqui embaixo.

Dá o #Play e vamos juntos meditar! A misericórdia de Deus é pra todos!

Entronizado nos louvores, Tu estás
Neste lugar, neste lugar
Tu és a água que eu preciso
Pra me saciar, me saciar

Aos teus pés rendido estou
Em adoração, Senhor
Quebrantado, atraído, destruído por amor

Quem é esse Rei da glória?
Quem é esse Rei de amor?
Seu amor vale mais que a vida
Apaixonado estou

Contemplando Tua beleza
Contemplando Teu amor
Só uma coisa eu te peço
Vem nesse lugar!

Vem nesse lugar, vem nesse lugar!
Vem nesse lugar, vem nesse lugar!

Não mereço, me envergonho
Eu não posso, mas entrei
No Teu santuário, no Teu santuário!

(Em Teu Santuário | Colo de Deus)