Jovem Litúrgico| 4º Domingo da Quaresma

jovemliturgico

“Amemos o pecador, não o pecado!”

A liturgia de hoje é belíssima, pois nos chama á algo desafiador: reconciliação. Reconciliar não é voltar atrás, mas andar pra frente. É curar aquilo que dói, ou talvez nem doa mais; pois nos acomodamos. Acima de tudo, como disse inicialmente, é preciso coragem. Quem já se machucou, sabe do que estou falando. Aliás, quem nunca se machucou na vida? A primeira atitude da nossa mãe é lavar o machucado com bastante água, tirar toda a sujeira; pra depois colocar o álcool ou… o famoso e outrora poderoso Merthiolate. Cá entre nós, eu não sei o que é mais forte; se é a dor ou o medo. E se a mãe ficasse com dó da gente e deixasse o machucado lá? Nossa Senhora… Ia contaminar e surgir até uma infecção. Na nossa vida não é diferente. Tem certos machucados em nosso coração que por mais que doa, precisamos deixar que Jesus limpe pra valer. Porque quando Jesus opera, Ele não deixa cicatriz.

Por mais grave e profunda que seja essa ferida, tem jeito. Mas é preciso um “primeiro passo” nosso, uma decisão.

A VOLTA DO FILHO PRÓDIGO-2A história do filho pródigo, narrada no Evangelho, mostra toda a revolta do filho e toda a liberdade concedida por seu pai. E após sair e quebrar a cara, tem uma expressão pleonástica que muda toda a história: “Então caiu em si e disse”. Em outras traduções podemos até encontrar “entrou em si”. Mas o que chama atenção, é que esse pleonasmo não é um erro gramatical, mas um ênfase proposital para que possamos entender o sentido de reconciliação. De uma maneira bem simples, ele entrou nele mesmo! É verdade… Por mais que isso possa parecer óbvio, tem muita gente que entra na vida de meio mundo, entra em qualquer lugar; mas não entra em si. Pior ainda, tem gente que deixa que qualquer um entre em si, menos ele.

Depois disso, aquele jovem criou coragem para voltar pra casa. E ali, duas almas lavadas se encontraram. O pai pela misericórdia, e o filho pelo arrependimento.

O gesto espontâneo não poderia ser diferente, um abraço! Tão forte que veio seguido de muitos beijos. Como sabemos, o abraço sincero tem o poder de curar. E isso aconteceu de tal forma que foi digno de uma grande comemoração.

Que não tenhamos medo da reconciliação. Se alguém entra em si e volta à sua Origem, nova criatura é. As coisas velhas já se passaram.

Uma semana de reconciliação!

Paz e Bênçãos,
Janaína Naspar.

Anúncios

Deixe o seu comentário. Ele é muito importante para o crescimento e amadurecimento de nossa missão. Deus o abençoe!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s