Qual é a missão do leigo?

A paz do Cristo Libertador, galera! Firme?

Nesse #AnoDoLaicato convocado pela CNBB, vale a pena pararmos e darmos uma vasculhada nos documentos da Igreja para sabermos qual a real missão dos leigos.

Leigo, como já falamos, para a Igreja não é aquele que sabe menos, mas aquele que, assume na realidade cotidiana, a missão de ser um outro Cristo. Como batizados que somos, temos a responsabilidade da vida profética, sacerdotal (próprio dos fieis) e real.

E que missão difícil, viu? Ser leigo é doar a vida para que esse mundo não se afunde nas trevas e nem perca o seu sabor, visto que ele foi criado por Deus e para Deus deve existir.

Além de anunciar e denunciar (missão de todo batizado), o Leigo tem muitas outras missões e nós falamos disso à luz de alguns documentos do Concílio Vaticano II, além do Catecismo da Igreja Católica (CIC) e do Catecismo Jovem (Youcat).

Dá o #Play e partiu!

LUMEM GENTIUM:
http://bit.ly/lumengentiumjr

TODOS OS DOCUMENTOS DO CVII:
http://bit.ly/documentoscv2

Anúncios

Maria e a Comunhão com Deus

“Nela não tem alguma oposição entre Deus e o seu ser: tem plena comunhão, plena concordância. Tem um “sim” recíproco, entre Deus e ela e ela e Deus. Maria é livre do pecado porque é toda de Deus, totalmente esvaziada por Ele. É cheia de sua Graça, do seu Amor” (Papa Emérito Bento XVI – 08/12/12)

Paz e Fogo!

Estamos no mês de abril, onde celebramos logo em seu primeiro dia, a festa mais importante de nossa Igreja: a Páscoa da Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo. Diferente do que o dia sugere (dia da “mentira), verdadeiramente Cristo ressuscitou e disso vemos frutos até hoje e veremos pelos séculos dos séculos sem fim. Amém! Aleluia! Shandaray!

Mas o que Maria tem a ver com isso? Tudo!

O parágrafo que abre esse texto é tirado do Angelus do Papa Emérito Bento XVI por ocasião da Solenidade da Imaculada Conceição. Nele claramente vemos a figura de Maria como aquela que, espelhando-se em seu Filho, também abriu mão de si mesma e de seus planos, para viver configurada aos planos de Deus.

Vemos no mistério da cruz, a plena comunhão que há entre a Santíssima Trindade: o Espírito leva Jesus ao deserto, Jesus vence o deserto e morre na Cruz por nossos pecado e o Pai ressuscita o Cristo, exaltando-O sobre tudo e todos.

E Maria?

Olha ela ali do meu lado!

Maria também tem e está em plena comunhão com a Santíssima Trindade. Cheia de Deus, Maria deixou-se guiar também pelo deserto, onde precisou com José proteger o Menino que corria risco de vida; Maria caminhou piedosamente o caminho do Calvário seguindo Jesus, consolando-O e consolando os seus agora ‘filhos’ na fé; Maria esperançosa não vai ao túmulo, mas acredita piamente na vitória de Jesus sobre à morte; por fim, Maria participa da expansão da Igreja ao ser tomada pelo Espírito que nela já habitava, mas agora junto aos discípulos no Cenáculo.

Que Maria nos ajude e nos ensine a sermos UM com o Deus que nos ama, chama e envia!

Deus te abençoe! Salve Maria!

Ah! Vale a pena assistir:

Robson Landim
Comunidade de Aliança Cristo Libertador

Como viver bem a Semana Santa?

SemanaSanta

A Semana Santa e o Tríduo Pascal nos ajudam a vivenciar aquele que é o ápice da nossa fé, a Paixão, Morte e Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo e para bem vivenciar este momento existe uma preparação específica: a quaresma, tempo de penitência, meditação e recolhimento.

A quaresma é um grande retiro pregado pelo próprio Jesus para que o nosso coração, assemelhando-se ao dEle, esteja pronto para a intensa vivência de cada um dos dias da Semana Santa.

ESMOLA, ORAÇÃO E JEJUM

SOBRE A ESMOLA que nos remete à caridade e o amor em obras, diz o Senhor: quando deres esmola, não toques a trombeta diante de ti(cf. Mt. 6,2). Fazer o bem sem olhar a quem é princípio desse tempo, colocando-se assim no molde do Cristo que, estando na Cruz, perdoou e inaugurou o Paraíso para e com um ladrão, a quem hoje chamamos de Dimas.

SOBRE A ORAÇÃO, Jesus diz: quando tu orares, entra no teu quarto, fecha a porta, e reza ao teu Pai que está oculto. E o teu Pai, que vê o que está escondido, te dará a recompensa” (cf. Mt 6, 6). Rezar é ligar-se a Deus. Ninguém vence o deserto se não for íntimo de Deus e mais do que isso: quem não reza para na Cruz, não chegando à ressurreição, ponto alto da nossa caminhada. Quem não reza não passa da cruz à vida, ou seja, não vive a Páscoa do Cristo.

QUANTO AO JEJUM, o Evangelho nos lembra: quando jejuares, perfuma a cabeça e lava o rosto, para que os homens não vejam que tu estás jejuando, mas somente teu Pai, que está oculto (cf. Mt 6, 17-18). Jejuar nos ajuda no autocontrole. Quem tem domínio sobre si, vence com Cristo, tentações em todas as áreas da vida, em especial na afetividade e sexualidade. Como disse o próprio Jesus em outra ocasião, há demônios que só são expulsos com oração e jejum. Aquele que controla suas emoções e atitudes, mais facilmente se encontrará com o Cristo.

A Semana Santa

Depois desse pequeno itinerário da quaresma, para bem celebrarmos a Semana Santa, basta participarmos de forma digna e de coração aberto das celebrações propostas: o Domingo de Ramos, a Quinta-feira do Lava-Pés, a Sexta-Feira da Paixão, o Sábado Santo e o Domingo da Ressurreição. Além disso, vale ressaltar a importância da CONFISSÃO SACRAMENTAL, visto que a Igreja nos ensina que devemos nos confessar ao menos uma vez por ano (não apenas uma vez) pela Páscoa da Ressurreição.

Vivenciar não é apenas participar, mas deixar-se tocar pelo mistério de cada uma das celebrações, seguindo assim, os passos do próprio Cristo que entra glorioso em Jerusalém, carrega a pesada cruz, que é crucificado entre os ladrões, mas que ressuscita, vencendo a morte de uma vez por todas.

Ah! Vale a pena assistir o vídeo que gravei com meus irmãos de comunidade André e Isac partilhando sobre o dia mais especial da Semana Santa para nós!

O texto é de minha autoria e foi escrito originalmente para a Revista Aliança de Misericórdia, edição Fev/Março de 2018.